ABCS participa de reunião de avaliação do programa Agro+

Na reunião, ministro Maggi destacou a importância de cumprir as exigências dos mercados externos e comentou o embargo russo à carne suína brasileira

Convidada pelo secretário-executivo do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Eumar Novacki, a Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS) participou, na última quinta-feira (16), da avaliação e discussão do Plano Agro +. O encontro aconteceu na sede do MAPA, em Brasília (DF) e contou com a presença de outras 25 entidades do setor agropecuário.

Existente há dois anos, o programa já realizou mais de mil entregas ao setor e pretende, até o final do ano, chegar a 1,5 mil. Novacki, responsável pelo Plano, explicou algumas das providências adotadas por meio do projeto e destacou a revisão do Regulamento da Inspeção Industrial e Sanitária de Produtos de Origem Animal (RIISPOA). “Entre as mudanças introduzidas na legislação, estão a elevação de penalidades e a perda do selo Serviço de Inspeção Federal (SIF) para empresas que cometerem três irregularidades gravíssimas em um ano. Além de combater fraudes econômica, as novas normas reforçam a segurança e inocuidade alimentar”.

Representantes do setor elogiaram o secretário pela condução do projeto e também ponderam algumas sugestões de aperfeiçoamento. Na reunião, a consultora de relações governamentais da ABCS, Ana Paula Cenci, prestigiou a atuação da Pasta na abertura de mercados internacionais para genética suína e frisou a necessidade de avançar nas negociações com o México para estender novos mercados consumidores. Para fechar Cenci solicitou o apoio do MAPA para adequar as linhas de financiamento de Agricultura de Baixa Emissão de Carbono (ABC) e Inovagro.

"Um dos pleitos da ABCS, dentro do MAPA e do Ministério da Fazenda é disponibilizar linhas de crédito para o produtor conseguir investir em tecnologias ambientalmente sustentáveis. O suinocultor precisa desses financiamentos para tecnificar ainda mais a sua produção”, destacou Cenci.

Para finalizar Novacki disse que para dar sucessão ao programa a Pasta deve continuar recebendo demandas das associações. “Esse programa só é possível garças a sinergia entre o ministério e o setor”, destacou.

Exportações e embargo russo

O ministro da Pasta, Blairo Maggi, participou da audiência e ponderou a importância de o Brasil cumprir as exigências dos importadores. “O tempo do ‘jeitinho’ não existe mais”, advertiu o ministro, lembrando que o MAPA vem implementando mudanças em seus processos para se adequar às exigências dos mercados externo e interno.

Em seguida, Maggi citou o caso do embargo russo à carne suína brasileira, que exige a proteína sem a presença da ractopamina. “Foi feito um acordo para a venda da carne em a ractopamina, mas alguém não cumpriu e estamos enfrentando problemas com os russos por causa disso. Por conta do erro ou negligência de um, todo o mercado brasileiro está sofrendo as consequências”, destacou o ministro.

Setor de Indústrias Gráficas (SIG), Quadra 01 – Ed. Barão do Rio Branco, sala 118 | CEP: 70.610-410 | Brasília - DF
Telefone: (61) 3030-3200
Design: Conectando Pessoas