Governo Federal libera R$ 30,4 milhões para leilões de suínos vivos

Governo Federal libera R$ 30,4 milhões para leilões de suínos vivos

Pregões serão realizados quando os preços estiverem abaixo de R$ 2,30/kg no Sul e Sudeste

 

Nesta quarta-feira (19/9), o governo federal definiu a liberação de até R$ 30,4 milhões para a realização de leilões públicos de equalização dos preços do suíno vivo com o objetivo de contemplar a Política de Garantia de Preço Mínimo (PGPM) para os produtos. A decisão foi tomada pelos Ministérios da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), da Fazenda e do Planejamento, Orçamento e Gestão por meio da Portaria Interministerial nº 842, publicada no Diário Oficial da União (DOU).

Os leilões serão realizados quando os preços de mercado do suíno vivo estiverem abaixo de R$ 2,30/kg, nas Regiões Sul e Sudeste, e de R$ 2,15/kg, na Região Centro-Oeste. Poderão ser utilizados pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), mecanismos de apoio à comercialização: Prêmio Equalizador Pago ao Produtor Rural e/ou sua Cooperativa (PEPRO) e Prêmio de Escoamento de Produto (PEP).

De acordo com a Secretaria de Política Agrícola, a medida foi tomada para garantir que o produtor não receba pelo seu produto um valor abaixo do seu custo de produção, maior este ano em função da alta dos preços do milho e do farelo de soja, principais ingredientes da ração.

Para a Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS), a iniciativa é valida, mas chegou tarde. “A liberação reflete o reconhecimento do governo sobre a importância de se ter um preço mínimo para o quilo do suíno vivo, mas infelizmente chegou um pouco atrasada já que o preço no mercado interno está normalizando. É preciso agora tomar iniciativas em relação ao preço do milho e do farelo de soja, já que não adianta criar regras para diminuir o preço, depois da melhora na crise do setor”, comenta o diretor-executivo da entidade, Fabiano Coser.

O prazo máximo para a comprovação da operação para fins de recebimento do prêmio será de até 120 dias corridos, contados após a data limite estabelecida para a venda do produto, em cada leilão, cabendo ao Mapa estabelecer o limite para cada operação. Criadores, cooperativas, abatedouros e frigoríficos poderão participar dos pregões. A origem do produto a ser amparado será os estados da região Sul, Sudeste e Centro-Oeste. O limite por leilão será de 50 toneladas de suíno vivo por criador ou cooperado e o valor máximo do prêmio será de R$ 0,40 por quilo.

 

Fonte: ABCS com informações da Agência Estado
Publicado em 19/9/2012

Setor de Indústrias Gráficas (SIG), Quadra 01 – Ed. Barão do Rio Branco, sala 118 | CEP: 70.610-410 | Brasília - DF
Telefone: (61) 3030-3200
Design: Conectando Pessoas