“Mercado interno sustenta crescimento da suinocultura”, diz ABCS

“Mercado interno sustenta crescimento da suinocultura”, diz ABCS

Entidade reafirma importância estratégica do consumidor brasileiro


A demanda do mercado interno é responsável por sustentar o aumento da produção de carne suína no Brasil, pelo menos, nos últimos seis anos. A afirmação do diretor executivo da ABCS (Associação Brasileira dos Criadores de Suínos), Fabiano Coser, durante o lançamento do Congresso Abraves, ontem, na Fiesp, em São Paulo, destaca a importância do incentivo ao consumo interno de carne suína como estratégia de sustentabilidade para o setor.

“Desde 2006, registramos um aumento médio de 1,5 milhão de abates ao ano e os patamares de exportações oscilam entre 550 mil e 600 mil toneladas enquanto o consumo interno aumentou mais de 400 mil toneladas. Atualmente, o mercado interno é destino de 85% da produção e as exportações respondem por 15%. A sustentabilidade do setor depende do aumento do consumo dos brasileiros e, assim, todos devem se engajar”, argumentou.

Os dados da Abipecs (Associação Brasileira dos Produtores e Exportadores de Carne Suína) revelam que as exportações brasileiras do produto ficaram em 529 mil toneladas em 2008, 607 mil em 2009, 540 mil em 2010, 516 mil em 2011 e 581 mil 2012. De janeiro a agosto deste ano, houve redução de 6% no volume em relação ao mesmo período do ano anterior. No mesmo período, a produção nacional aumentou de 3,02 milhões de toneladas para 3,48 milhões. Por sua vez, o consumo interno per capita de carne suína saltou de 13,7 em 2009 e, no ano passado, chegou a 15,6 kg per capita.

Coser frisou a importância da abertura de novos mercados no exterior, como Japão, principalmente como “chancela” sobre a qualidade do produto brasileiro, mas ressaltou que os volumes a serem exportados, caso se confirmem, não teriam grande impacto no curto prazo. “As previsões indicam que poderíamos exportar 50 mil toneladas para o Japão se ganharmos mercado que hoje é dos EUA, Canadá, Dinamarca e outros. No mercado interno, cada quilo a mais de consumo per capita anual representa 200 mil toneladas”, pontuou.

O diretor-executivo da ABCS apresentou ainda os números de abate no país. Segundo o IBGE, a suinocultura brasileira abateu 27 milhões de animais em 2007 e 32,6 milhões em 2012. Os aumentos anuais perfazem uma média superior a 3% de aumento ao ano graças, principalmente, a avanços técnicos da produção.

“Estas informações são fundamentais para compreender que, apesar das exportações serem muito importantes, é o consumo do brasileiro que permitiu e permitirá o crescimento da suinocultura brasileira e todos os elos do setor, insumos, produtores, frigoríficos. A alternativa seria ficar como está, sem crescimento, apesar do progresso tecnológico que aumenta nossa produtividade. Ninguém quer isso”, defendeu.

O executivo destacou a abertura da Semana Nacional da Carne Suína, que ocorrerá entre 2 e 16 de outubro, como coroação para a Campanha Nacional “A Carne Suína é 10” que visa o aumento do consumo interno do produto. O evento ocorre no Hotel Golden Tulip Park Plaza no dia 2, às 10h30, em São Paulo, e contará com a presença do ministro da Agricultura, Antônio Andrade; do presidente da ABCS, Marcelo Lopes; e do presidente do Grupo Pão de Açúcar, Enéas Pestana, entre outras autoridades.

“Se trata de uma campanha para todo o setor e se cada um fizer um pouco poderemos conseguir um aumento de 750 gramas de consumo a cada ano e chegar aos 18 kg até 2015. Isso garantiria sustentação para o crescimento do setor. Caso contrário, certamente, viveremos outra crise como foi a de 2012 quando milhares de produtores tiveram que abandonar a atividade”, finalizou.

 

Fonte: ABCS
Publicado em 27/09/2013

Setor de Indústrias Gráficas (SIG), Quadra 01 – Ed. Barão do Rio Branco, sala 118 | CEP: 70.610-410 | Brasília - DF
Telefone: (61) 3030-3200
Design: Conectando Pessoas