FNDS avança em São Paulo, Minas, Goiás e prevê novas ações

FNDS avança em São Paulo, Minas, Goiás e prevê novas ações

Assembleia da ABCS apresentará FNDS a lideranças estaduais

O Fundo Nacional de Desenvolvimento da Suinocultura (FNDS) avança com novos apoios. Nesta semana, a Pelé Agropecuária, administrada pelo sobrinho do Rei do Futebol, João Paulo do Nascimento, confirmou a participação no fundo.

Lançado pela ABCS (Associação Brasileira dos Criadores de Suínos) no final de 2014, o FNDS foi desenhado para viabilizar as múltiplas ações necessárias a iniciativas de promoção, desenvolvimento e representação da suinocultura brasileira com base nos resultados já entregues pela entidade nacional desde 2010.

“Decidimos apoiar para ajudar na divulgação e no desenvolvimento da carne suína no Brasil. É uma ótima iniciativa da ABCS pois podemos contar com ações que contribuem cada vez mais para alavancar os negócios e o segmento”, explica o empresário João Paulo do Nascimento.

Lideranças estaduais

Amanhã, dia (10), o FNDS tomará novo impulso pois irá acontecer a Assembleia da ABCS com os presidentes das 16 associações estaduais da suinocultura e gestores para discutir o andamento do fundo. Além disso, será assinado termo de cooperação pela presidente da Associação dos Suinocultores do Vale do Piranga (Assuvap), Patrícia Morari, confirmando a participação da entidade junto a Cooperativa dos Suinocultores de Ponte Nova e Região (Coosuiponte) e Saudali que agregarão 70 mil matrizes ao fundo.

“Sem o trabalho de promoção, representação e capacitação, o setor dará passos atrás em aceitação dos consumidores, qualidade produtiva e conquistas políticas. Este seria o preço de não nos movermos agora, ou seja, o custo seria muito maior”, sentencia Lopes.

O Fundo é inspirado no modelo do NPPC (Conselho Nacional de Produtores de Suínos dos Estados Unidos, do inglês), que realiza toda a promoção do produto, representação política, capacitação e pesquisas sobre a suinocultura nos Estados Unidos, a partir da doação de um pequeno percentual por animal abatido.

“O FNDS é uma necessidade imperativa do setor. Nos últimos anos, entregamos resultados e avançamos com recursos do Sebrae, mas isso tem prazo para terminar em definitivo. Enfim, se a suinocultura brasileira pretende continuar se desenvolvendo, deverá fazê-lo com autofinanciamento. Neste sentido, somos todos responsáveis”, resume o presidente da ABCS, Marcelo Lopes.

Goiás

O diretor executivo da ABCS, Nilo de Sá, apresentou o trabalho realizado pela associação nacional e detalhou os principais tópicos do FNDS a produtores de Goiás durante a reunião mensal da AGS (Associação Goiana de Suinocultores), realizada ontem na capital do estado, e foi elogiado pelos participantes. "Procuramos mostrar que o trabalho da ABCS, que trouxe tantos avanços nos últimos anos, será sustentável apenas se tiver o apoio financeiro do setor", defende.

Segundo o presidente da AGS, Fernando Cordeiro de Barros, o fundo é uma inciativa importante para a suinocultura brasileira e goiana. “Concordamos com a importância do FNDS principalmente para divulgar a qualidade da carne suína e os produtores presentes também manifestaram apoio à iniciativa. Nós sabemos que é uma necessidade para que o consumo de carne suína possa aumentar”, comenta.

A secretária executiva da AGS, Crenilda Neves, acrescentou que os produtores goianos receberam bem a ideia do FNDS pois querem dar continuidade ao trabalho desenvolvido pela ABCS. “O fundo é importante para as iniciativas em prol da suinocultura possam ser ampliadas de maneira independente”, analisa.

Fonte: ABCS
Publicado em 09/10/2015

Setor de Indústrias Gráficas (SIG), Quadra 01 – Ed. Barão do Rio Branco, sala 118 | CEP: 70.610-410 | Brasília - DF
Telefone: (61) 3030-3200
Design: Conectando Pessoas