ABCS convoca setor a integrar FNDS

ABCS convoca setor a integrar FNDS

Fundo já representa mais de 170 mil matrizes, cerca de 10% do plantel nacional

Durante reunião em Brasília, nesta terça-feira (10), a Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS) convocou as associações estaduais afiliadas e produtores de todo o Brasil a integrarem o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Suinocultura (FNDS). Em três meses de atuação, o Fundo já representa mais de 170 mil matrizes, cerca de 10% do plantel nacional.

O FNDS foi criado pela ABCS no final de 2014 para garantir sustentabilidade e a continuidade das ações de produção, indústria e comercialização, realizadas pelo Projeto Nacional de Desenvolvimento da Suinocultura (PNDS). Inspirado na experiência americana do Pork Checkoff (Fundo de Desenvolvimento dos Estados Unidos), o fundo brasileiro já angariou o apoio de produtores de vários estados, além de contar com a aprovação da indústria. O objetivo da ABCS agora é estruturar o fundo, com o apoio direto do Sebrae Nacional, para que até 2017 o sistema esteja autossustentável para manter as ações no mercado interno e a representação política que trazem estabilidade aos produtores de suínos no Brasil.

Já são contribuintes diretos a cooperativa Suinco, Fazenda Água Branca, Bonasa, Pelé Agropecuária, e a Associação dos Suinocultores do Vale do Piranga (Assuvap) que junto com Cooperativa dos Suinocultores de Ponte Nova e Região (Coosuiponte) e Saudali confirmaram a participação nesta terça-feira (10).

Segundo presidente da ABCS, Marcelo Lopes, a constituição do fundo é essencial para que a atuação da entidade siga correspondendo ao tamanho de sua representatividade. “O PNDS tem servido de modelo para outros setores econômicos que procuram a ABCS para entender melhor nossa atuação. Até agora fizemos esse trabalho com recursos do Sebrae, contudo, precisamos nos autofinanciar para dá continuidade ao desenvolvimento do setor”, explicou.

A resposta das associações estaduais ao chamado da ABCS foi positivo, além da adesão da Assuvap, outras entidades já demostraram interesse e apontaram caminhos para arrecadar recursos para financiar a ideia, é o caso da Associação de Suinocultores do Espírito Santo (ASES) que já tem um fundo estadual para apoiar as ações desenvolvidas no estado. O diretor executivo da Ases, Nélio Hand, acredita que haverá boa aceitação do FNDS, pois os produtores capixabas já estão acostumados a contribuir para as atividades de divulgação da carne suína.

Na região Sul, os presidentes da Associação Catarinense de Criadores de Suínos (ACCS), Losivanio de Lorenzi, da Associação Paranaense de Suinocultores (APS), Jacir Dariva,  apostam na parceria com a agroindústria para impulsionar o FNDS.  O presidente da Associação de Criadores de Suínos do Rio Grande do Sul (ACSURS), Valdecir Folador, compartilha essa opinião, mas destaca que o desafio maior é envolver o produtor para aumentar as adesões e expandir o fundo em todo o país e, principalmente, no sul, onde está grande parte da produção. “O suinocultor é o principal beneficiado pelo FNDS que apoiará o trabalho da ABCS de divulgação da carne suína, defesa política dos interesses da categoria e engajamento nas questões sanitárias”, disse. Folador frisa, contudo, que as ações beneficiarão toda a cadeia produtiva, incluindo a indústria, uma parceria imprescindível para o fortalecimento do setor.

Engajar os produtores e construir junto aos estados as soluções para arrecadar as contribuições que serão destinadas ao fundo também é a visão da Associação dos Criadores de Suínos do Mato Grosso (Acrismat), da Associação dos Criadores de Suínos do Distrito Federal (DFSUIN) e da Associação dos Suinocultores de Minas Gerais (ASEMG). O mesmo compromisso foi assumido pela Associação dos Suinocultores do Ceará (ASCE), segundo a gestora executiva da associação, Paula Braga, o nordeste não poderia ficar de fora tendo em vista a quantidade de ações realizadas, por meio do PNDS, para potencializar a atividade na região.

A Associação dos Suinocultores de Goiás (AGS) já iniciou a mobilização para garantir adesão do produtor local, a entidade vai marcar em abril uma reunião com todos os associados para apresentar o FNDS. “Não poderíamos deixar de participar dessa iniciativa, essencial para potencializar os resultados alcançados pelo PNDS”, identificou o presidente da AGS Fernando Barros.

Para alavancar os esforços de suas afiliadas, a ABCS promoverá encontro estaduais junto às suas afiliadas para apresentar o FNDS e o trabalho desenvolvido pela entidade na promoção da carne suína e representação dos interesses dos suinocultores. A expectativa da associação é alcançar 800 mil matrizes até 2017 e o compromisso foi assumido em conjunto com as afiliadas.  A primeira meta é obter a participação de 400 mil matrizes ainda este ano, chegar a 600 mil em 2016 e até 2017 atingir a meta necessária para manter o sistema sustentável e atuante.

Fonte: ABCS
Publicado em 11/03/2015

Setor de Indústrias Gráficas (SIG), Quadra 01 – Ed. Barão do Rio Branco, sala 118 | CEP: 70.610-410 | Brasília - DF
Telefone: (61) 3030-3200
Design: Conectando Pessoas