ABCS apoia FIPPPA e destaca a carne suína no evento

ABCS apoia FIPPPA e destaca a carne suína no evento

A proteína teve espaço especial com a presença da vencedora do Máster Chef Brasil que comandou coquetel de abertura da feira

Com presença maciça de líderes do setor até o último painel, a Feira Internacional de Produção e Processamento de Proteína Animal (FIPPPA), organizada pela Gessulli Agrobusiness, termina, hoje (30), em Curitiba (PR). Além de apoiar a realização da Feira, a Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS) contribuiu com o debate por meio das participações do presidente da entidade, Marcelo Lopes, e do diretor executivo, Nilo de Sá.

Esta edição da FIPPPA contou com a participação de mais de 200 expositores entre empresas nacionais e internacionais que levaram ao público as mais modernas e eficientes tecnologias para produção de proteína animal. Em dos momentos mais emocionantes da Feira, o evento foi palco de homenagem a profissionais da área. O presidente da ABCS, Marcelo Lopes, foi reconhecido como personalidade da suinocultura brasileira de 2015. Para Lopes, o prêmio representa a valorização do trabalho desenvolvido pela ABCS para o desenvolvimento da suinocultura. “A carne suína ainda tem muito a crescer e temos nos mobilizado para atrair atenção do consumidor para essa proteína”, afirmou o presidente ao participar da Feira.

Outro ponto marcante da FIPPA foi a presença da máster chef, Elisa Fernandes, promovida pela ABCS e PNDS. A vencedora do MasterChef Brasil, da Rede Bandeirantes de Televisão, liderou o coquetel de abertura do evento e destacou toda a versatilidade e sabor da carne suína, ao repetir o sucesso do prato vencedor do programa filé mignon suíno, com purê de abóbora cabotiá e farofa de pão que foi servido junto de um buffet de frios, acompanhado de vinho.

A programação técnica da FIPPPA, que ocorreu nos dias 28 a 30 de abril, contou com a colaboração de especialistas renomados de todos os elos da cadeia de proteína animal.  A suinocultura teve espaço em vários painéis a começar pelo primeiro que discutiu políticas públicas para o desenvolvimento do setor.  O presidente da ABCS pronunciou palestra sobre “Desafios de Políticas Públicas de Apoio a Suinocultura Brasileira”.

Com o auditório lotado, Lopes apresentou o panorama da suinocultura atual e elencou os desafios que a atividade precisa enfrentar hoje para se desenvolver como: estruturação logística com mais investimentos em porto e rodovias para facilitar o escoamento de grãos, base da ração animal, e garantia de estoque. Segundo o presidente da ABCS, os obstáculos logísticos do país impõem custos elevados ao produtor.

Lopes abordou também o tema defesa sanitária. Apesar de ser um diferencial da suinocultura brasileira, ele garante que ainda há desafios a serem vencidos nessa área entre eles: o fortalecimento do programa de sanidade suídea, avanço da área livre de aftosa, e o reconhecimento pela Organização Mundial da Saúde Animal (OIE) de todo o território nacional como zona livre da Peste Suína Clássica (PSC). O presidente encerrou o debate falando da necessidade de facilitar o acesso dos criadores a linhas de crédito como o Inovagro e o ABC que permitem inovações tecnológicas e investimentos em bem-estar animal, climatização e tratamento de dejetos.

O diretor executivo da ABCS, Nilo de Sá, também somou ao diálogo ao participar como debatedor de painel sobre boas práticas agropecuárias com o tema como comunicar com o consumidor.   Com a participação de pesquisadores, consultores e produtores a apresentação trouxe exemplos de outros países que implantaram modelos de bem-estar animal para atender as exigências do mercado e dos consumidores. “Cada vez mais a sociedade se preocupa com a forma como são produzidos os alimentos que consome. O produtor precisa estar preparado para se comunicar com esse público com exigências cada vez maiores por padrões de bem-estar animal”, resumiu.

Na Feira, também foram abordados temas como: benefício da automação e mecanização no abate de suínos, sanidade suídea, otimização de processo na indústria de carne, inovações em desossa, economia de água dentro do frigorifico.

Fonte: ABCS
Publicado em 30/04/2015

Setor de Indústrias Gráficas (SIG), Quadra 01 – Ed. Barão do Rio Branco, sala 118 | CEP: 70.610-410 | Brasília - DF
Telefone: (61) 3030-3200
Design: Conectando Pessoas