Fórum de Bem-Estar e Integração reúne mais de 300 produtores em RS

Fórum de Bem-Estar e Integração reúne mais de 300 produtores em RS

Realizada pela ABCS e ACSURS, segunda edição do evento aconteceu em Carazinho

Segunda edição do Fórum de Bem-Estar e Integração, que aconteceu nesta quarta-feira (06), em Carazinho (RS), mobilizou mais de 300 produtores e profissionais da cadeia suinícola. Realizado pela Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS) e Associação de Criadores de Suínos do Rio Grande do Sul (ACSURS), o evento contou com o apoio do Serviço Brasileiro de Apoio à Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Embrapa Suínos e Aves e Fundo de Desenvolvimento e Defesa Sanitária Animal (Fundesa).

Voltados para temas que impactam a produção suinícola diretamente, a função do evento é promover o debate e apresentar informações sobre bem-estar animal e legislações relacionadas, bem como o Projeto da Lei da Integração e o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Suinocultura (FNDS). É mais uma ação do Projeto Nacional de desenvolvimento da Suinocultura (PNDS) em busca da profissionalização da atividade. Para o presidente da ACSURS, Valdecir Folador, o Fórum cumpriu o objetivo de conscientizar os suinocultores. “Com certeza os produtores saíram daqui com a visão ampliada a respeito dos temas discutidos”, enfatizou.

O evento foi aberto com painel do médico veterinário e consultor da Integrall Iuri Machado que falou sobre tendências do mercado suinícola, como se deu a implantação de modelos adaptados às exigências de bem-estar animal em outros países produtores e aplicação dessas práticas aliadas à produtividade. O veterinário acredita que o objetivo do Fórum foi alcançado. “O envolvimento de vários atores da cadeia – produtores, Embrapa, MAPA, profissionais do setor – contribuíram para qualidade dos debates”, opinou.

O pesquisador da Embrapa Suínos e Aves Osmar Dalla Costa participou do painel com uma apresentação sobre os diversos componentes das boas práticas em granjas de suínos. Segundo ele, há uma série de medidas que proporcionam bem-estar animal e fazem com que o produtor atenda às exigências do mercado por estas normas, inclusive sem a necessidade de máquinas eletrônicas para alimentação ou grandes investimentos estruturais.

O diretor executivo da ABCS, Nilo de Sá, ministrou a segunda palestra do evento com o tema integração. Nilo apresentou aos produtores principais definições do Projeto de Lei, em tramitação no Congresso Nacional, que visa facilitar as relações contratuais entre criadores de suínos e indústria, por meio de regras que resguarde os interesses dos produtores e tragam mais transparência a negociação.

Segundo o diretor, além da falta de diálogo com as integradoras, a carência de dados técnicos e o desfasamento das planilhas que compõem os custos do produtor no sistema integrado são empecilhos que impedem a melhora das condições de produção e da remuneração do suinocultor nessa modalidade. Embora, ainda não esteja em vigor medidas da futura lei já podem ser colocadas em prática, para trazer segurança ao produtor um exemplo disso, é a criação de Comissão de Acompanhamento, Desenvolvimento e Conciliação da Integração (CADEC) em cada uma das unidades integradoras. Essa comissão já foi instituída em alguns estados e sua função é defender os interesses da categoria na relação com a agroindústria.

A proprietária da Granja Lagoa Grande no município de Três Passos, Jéssica Andrea Goetz, que acompanhou os debates, é criadora de suíno no modelo integrado. Para ela, os temas apresentados no evento vão auxiliá-la na rotina diária da granja, além de facilitar a negociação com a indústria.

O presidente da ABCS, Marcelo Lopes, encerrou o Fórum apresentando aos produtores locais a atuação do Fundo criado pela Associação Nacional, no final de 2014, para pontencializar o trabalho desenvolvido em prol do crescimento e sustentabilidade do setor.  Sobre o encontro no RS, o presidente avaliou que o principal ganho foi a sensibilização das lideranças do setor. “Atingimos nosso objetivo de levar informações de qualidade aos produtores para que possamos avançar em relação ao bem-estar, integração e estruturação do Fundo. Com apoio dos suinocultores da região conseguiremos financiar a iniciativa para que possamos ter mais autonomia e dar continuidade aos avanços obtidos por meio trabalho desenvolvido nos últimos quatro anos”, explicou.

Atualmente, o Fundo se aproxima das 200 mil matrizes e a última adesão veio do sul do país com a confirmação da participação do Grupo Schoeler que tem granjas nos estados do Paraná e Santa Catarina. Se depender da mobilização da ACSURS, as participações se expandirão na região. “Os criadores que estiveram presentes no Fórum perceberam que existe uma entidade trabalhando em seu benefício e que é necessário apoiar financeiramente essas ações.  Agora é fazer o convencimento caso a caso para que eles venham a contribuir com o Fundo”, disse o presidente da ACSURS.

Colaborador de peso para a realização dos fóruns e para discussão sobre o bem-estar animal, o Ministério de Agricultura Pecuária e Abastecimento (MAPA) foi representado pela Médica Veterinária e Fiscal Federal Agropecuária, Lizie Buss, que se surpreendeu com a qualidade dos debates e acredita que com o desenvolvimento de outros fóruns em outros estados gerará maior engajamento das entidades de representação da suinocultura brasileira.

A chefe geral da Embrapa Suínos e Aves, Janice Zanella, também se surpreendeu com a grande participação dos produtores. Segundo ela, o debate despertou a atenção para as temáticas. “A continuidade do diálogo apontará soluções para os desafios postos ao setor hoje, como as demandas pela aplicação de boas práticas no manejo animal”. O evento também contou com a presença da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do RS (Fetag).

Próximos Fóruns

No próximo dia 15, o Fórum chega ao Centro Oeste, a Associação dos Criadores de Suínos do Distrito Federal (DFSUIN) e a ABCS promoverão o evento dentro da Feira Internacional dos Cerrados – Agrobrasília. Para o coordenador de suinocultura do Sebrae Nacional, João Fernando Nunes, a iniciativa da ABCS de dialogar com as regiões produtoras, por meio deste evento itinerante é fundamental para aproximar os produtores de temas que refletem na capacidade de comercialização da produção. Sobre o Fundo, ele disse que a ação pioneira irá alavancar o crescimento do setor que tem tido bons resultados. “O FNDS servirá de vitrine para outros setores do agronegócio brasileiro. A ação atende os critérios de contrapartidas exigidos pelo Sebrae para apoiar o setor, por meio do PNDS”, enfatizou.

Ainda para o primeiro semestre de 2015, está em desenvolvimento a realização dos fóruns nos estados de Goiás e Espírito Santo. A intenção é levar o debate de bem-estar para os produtores de todo país para que o setor possa evoluir no tema.

Fonte: ABCS
Publicado em 07/05/2015

Setor de Indústrias Gráficas (SIG), Quadra 01 – Ed. Barão do Rio Branco, sala 118 | CEP: 70.610-410 | Brasília - DF
Telefone: (61) 3030-3200
Design: Conectando Pessoas