Software do registro genealógico chega a Santa Catarina e Paraná

Software do registro genealógico chega a Santa Catarina e Paraná

Operante em 29 granjas reprodutoras o sistema é mais ágil, confiável e seguro

O software do Serviço de Registro Genealógico de Suínos do Brasil (SRGS), lançado em 2013 e implantado inicialmente no centro-oeste e sudeste, agora também opera em granjas de reprodutores do Paraná e Santa Catarina desde os meses de março e abril.

O sistema, administrado pela Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS) com autorização do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), é gratuito e um dos mais modernos do mundo. Ele garante níveis ainda mais altos de segurança, confiabilidade e agilidade aos suinocultores brasileiros.

O sistema eletrônico já está em funcionamento em 29 granjas multiplicadoras em Mato Grosso, Goiás, Distrito Federal, Minas Gerais, São Paulo, Paraná e Santa Catarina e, até o final deste ano, a expectativa é avançar para outros estados e unidades reprodutoras. Com isso, todas estas granjas do SGRS funcionarão em um sistema com base de dados unificada, indicadores mais completos, on-line, auditáveis e de baixo custo de operação.

Segundo o diretor executivo da ABCS, Nilo de Sá, ao exigir o registro genealógico dos reprodutores, o suinocultor tem a garantia que receberá um animal com alto potencial genético e que atende as normativas definidas pelo MAPA, o que é fundamental para alavancar a eficiência produtiva e reprodutiva da granja. O novo sistema vem ao encontro de várias solicitações de produtores, que é melhoria do processo operacional de emissão.

“Além da emissão on-line do certificado, o novo sistema comunica-se com o programa de gerenciamento das granjas, reduzindo um trabalho extremamente operacional de lançamento de dados”.

A Schoeler Suínos, uma das referências em reprodução de suínos no Brasil, é uma das granjas que já adotaram o novo sistema em unidades de Santa Catarina e no Paraná. O diretor da empresa, Diego Schoeler, elogia a iniciativa da ABCS e o novo sistema.

"É importante quando a tecnologia que chega ao campo auxilia o produtor, e para nós da Schoeler Suínos, tudo o que contribui para a suinocultura, sempre nos torna mais fortes", comenta.

 

Garantia

O Superintendente Nacional do Registro Genealógico, Valmir Rosa, explica que o Brasil possui cerca de 100 granjas de reprodutores e o objetivo é contar com o sistema em todas.

“Santa Catarina e Paraná concentram as principais granjas de reprodução genética e, também, o maior volume de granjas independentes. A perspectivas dos próximos meses é completarmos as grandes e as pequenas unidades destes estados”, prevê.

Segundo Valmir, a ABCS opera atualmente com os dois sistemas, manual e digital, mas o novo deve ser o padrão em breve. “Fomos muito criteriosos para definir o novo sistema e agora acreditamos que ele será adotado rapidamente por todas as granjas. Já está consolidado em vários estados”, analisa.

Valmir também destacou a importância de os suinocultores comprarem apenas animais certificados devido a garantias oferecidas pelo SRGS. “Se o cliente compra um animal certificado pela ABCS e o animal apresenta características fora do padrão, a responsabilidade é da empresa que vendeu. Deste modo, ela é obrigada a trocar e ainda corre o risco de ser descredenciada”, explica.

Ele também ressalta a segurança sanitária trazida pelo certificado SRGS graças ao aval sanitário do MAPA, que pode ser básico ou mais completo de acordo com as exigências dos clientes. “O serviço traz também o certificado sanitário do Ministério que garante inexistência de cinco ou seis das principais doenças na suinocultura. Mas também existe a opção de um atestado ainda mais completo, de acordo com a demanda do produtor”, finaliza.

Fonte: ABCS
Publicado em 21/05/2015

Setor de Indústrias Gráficas (SIG), Quadra 01 – Ed. Barão do Rio Branco, sala 118 | CEP: 70.610-410 | Brasília - DF
Telefone: (61) 3030-3200
Design: Conectando Pessoas