ABCS consolida realização de ações estratégicas para a cadeia de valor da suinocultura em 2019

Foram realizadas iniciativas de impacto nacional via Fundo Nacional de Desenvolvimento da Suinocultura (FNDS), recurso que viabiliza a ampliação e a disseminação do trabalho de promoção do consumo da carne suína no mercado interno


A Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS) aposta na integração do setor e encerra 2019 com a realização de ações nacionais estratégicas voltadas para toda a cadeia de valor. Desenvolvidas a partir do FNDS, um fundo criado especialmente com o intuito de investir em ações nacionais para aprimorar integralmente a cadeia suinícola, as ações impactaram todos os elos de forma positiva. Associações estaduais e regionais ligadas à entidade nacional, produtores de suínos integrados e independentes, empresas do setor, frigoríficos e um dos maiores grupos de varejo brasileiro, fizeram parte da atuação estratégica pelo FNDS em 2019. Foram realizadas 10 ações nacionais em prol de toda a cadeia, 24 materiais promocionais sobre a carne suína e 1 pesquisa de consumo.

Uma grande entrega, a Semana Nacional da Carne Suína (SNCS) trouxe em sua sétima edição a participação das três principais redes de varejo alimentício do Brasil em faturamento. Com o tema “Qualidade na cadeia de valor”, a campanha foi marcada por sua multicanalidade e versatilidade na hora de comunicar. Foram mais de 900 capacitados por 15 treinamentos. Houve crescimento nas vendas em todas as 8 redes de varejo participantes (Carrefour, Extra, Pão de Açúcar, Grupo BIG, Hortifruti, Natural da Terra, Lopes Supermercados e Oba Hortifruti), registrando como crescimento máximo 84,4%, da rede Natural da Terra.

Uma novidade neste ano, os Workshops de Doenças Virais de Importância na Produção de Suínos mobilizaram 11 estados no esforço de controlar e mitigar os fatores de risco à entrada de doenças como a Peste Suína Africana (PSA) e a Síndrome Respiratória e Reprodutiva dos Suínos (PRRS). Um importante trabalho em conjunto que uniu toda a cadeia para compartilhar responsabilidades em defesa do rebanho de suínos brasileiro, os 15 workshops prepararam 2.300 profissionais para o aprimoramento da biosseguridade nas granjas.

Outra importante atividade colocada em prática, foi a produção das Cartilhas de Produção e a apresentação dos Seminários Técnicos Mercado Globalizado, ambas ações com foco sensibilizar produtores e demais profissionais da suinocultura a respeito de temas relevantes para a sustentabilidade do negócio, seja na melhoria da eficiência de produção e custos ou mesmo as novas exigências do mercado consumidor, tais como bem-estar animal, restrição e uso prudente de antimicrobianos, biosseguridade, boas práticas na fabricação de rações e destinação adequada de dejetos. Ao total, foram 9 treinamentos, com 900 capacitados.

Quanto ao mercado, o foco foi em conteúdos com o objetivo de orientar produtores e agentes da cadeia, dando suporte com informações especializadas em artigos de mercado, boletins, palestras e com o aplicativo da empresa MBAgro, disponibilizando dados atualizados referentes ao agronegócio. A ABCS também atuou politicamente, estando presente em discussões decisivas, junto à Frente Parlamentar da Suinocultura, com temas como o licenciamento ambiental, a reforma tributária e a reforma da previdência.

A excelência no desempenho da ABCS e contribuintes do Fundo este ano também se deve aos conteúdos de marketing, desenvolvidos para chegar aos consumidores e aumentar a presença da carne suína na alimentação dos brasileiros.  Em destaque, as novas receitas com pratos à base de carne suína e cortes como alcatra, filé-mignon e pernil foram valorizadas pelos registros presentes no pacote audiovisual, estrategicamente pensado para atender frigoríficos e inovar no conteúdo para comunicação junto ao consumidor.

A ABCS desenvolveu 28 novas fotos de cortes in natura em diferentes apresentações para mostrar a versatilidade da proteína. Além disso, também foram produzidos 6 novos vídeos com opções de churrasco, petiscos para aproveitar com amigos e releituras de pratos populares, explorando cortes como costelinha, copa-lombo, pernil e filé-mignon, mas em preparos diferentes como chilli e almôndegas.

O FNDS também possibilitou a atualização dos integrantes do setor acerca do cenário de consumo de proteína animal por meio da pesquisa “Carne Suína: a visão atual do consumidor”. a pesquisa quantitativa com 1,3 mil entrevistados apresentou os aspectos de compra da proteína, trazendo informações de qualidade à cadeia de suínos nacional (produtor, indústria e varejo) e identificando possíveis estratégias mercadológicas para o desenvolvimento na suinocultura e os incentivos ao consumo da carne suína no Brasil.

Já os 8 novos artigos nutricionais voltados para temas atuais proporcionaram o esclarecimento de dúvidas constantes dos brasileiros, por exemplo, a respeito do consumo de carne suína na gravidez, da cicatrização e da cisticercose. Os artigos foram disponibilizados para os contribuintes do FNDS e enviados para médicos e nutricionistas em todo o Brasil.

Segundo o presidente da ABCS, Marcelo Lopes, todas as ações visaram alcançar públicos diversos e segmentados e, assim, aumentar a efetividade da mensagem de que a proteína suína é uma opção saudável, versátil e saborosa. “Seria utópico celebrar um ponto de chegada, mas como representante de mais de 20 mil suinocultores, asseguro que seguiremos construindo parcerias e relacionamentos que nos permitam como cadeia de valor e sociedade, acreditar em um legado que gere ganhos coletivos, respeito ao meio ambiente e aos animais. Esse é nosso propósito para 2020”.

Fonte: ABCS

Setor de Indústrias Gráficas (SIG), Quadra 01 – Ed. Barão do Rio Branco, sala 118 | CEP: 70.610-410 | Brasília - DF
Telefone: (61) 3030-3200
Design: Conectando Pessoas