No Bom Dia Brasil, sobre a carne suína Alexandre Garcia garante “o que existe é carne, e não banha”

 

 

No Bom Dia Brasil, sobre a carne suína Alexandre Garcia garante “o que existe é carne, e não banha”  

Realmente, 2011 é o ano do suíno brilhar! Na manhã de hoje, 21 de fevereiro de 2011, a carne suína ganhou espaço nunca antes alcançado na maior cadeia de comunicação de toda a América Latina e a terceira maior emissora comercial do mundo. A nível mundial perde apenas para as americanas ABC e CBS. A Rede Globo é assistida por 140 milhões de pessoas diariamente, seja elas no Brasil ou no Exterior por meio da TV Globo Internacional.

Além de uma matéria abordando o aumento de vendas de carne suína no varejo, a edição contou com um comentário espontâneo dos mais respeitados críticos da televisão, Alexandre Garcia, veiculados em programa nacional. Para se ter uma ideia da importância desse espaço, teriam de ser investidos mais de R$ 250 mil reais para conseguir os dois minutos e meio de divulgação nacional, valor incalculável para nossa atividade.

Mas mesmo assim, nós conseguimos veicular informações de forma espontânea e sem custos para a cadeia. Nós todos, suinocultores, parceiros, associações, empresas do setor que acreditamos e investimos no potencial da carne suína e não medimos esforços para buscar a fatia no mercado de proteínas que nos é de direito! E esse é o resultado que construímos juntos! Há mais de 40 anos investimos fortemente em tecnologia, alcançamos um dos melhores status sanitários na exportação e agora, iniciamos uma caminhada de êxito rumo ao mercado doméstico! Se seguirmos juntos alcançaremos mais uma vez a mídia de forma espontânea e daremos a carne suína o espaço que ela merece no mercado interno.

Abaixo a conquista que consideramos inestimável para o nosso setor: 

Bolso manda mais do que estômago, e brasileiros optam por carne suína 

‘Há quase três décadas, o que existe é carne, e não o banha. É uma carne saborosa e macia’, destaca o comentarista Alexandre Garcia. 

A baixa da carne do boi no mercado é uma boa oportunidade para conquistar o consumidor depois da gripe suína. A tal gripe suína atribuiu errada e injustamente sua origem à carne do porco e aí derrubou as vendas em cerca de 25% a 30%. Aumentou também a desconfiança na carne de porco, tida sempre como muito gordurosa.

Agora o preço vai servir para mostrar que não é nada disso. Há quase três décadas, o que existe é o ‘porco carne’, e não o ‘porco banha’. É uma carne saborosa e macia. Além disso, é bastante nutritiva, rica em vitaminas e em minerais. A engorda é feita por melhorias no manejo, e não por hormônios. É, portanto, uma carne saudável, desde que seja bem cozida e tenha boa procedência.

No Brasil, a carne de porco é produzida em geral por pequenos e médios produtores, que se unem em cooperativas. Para não depender do mercado externo, as cooperativas estão promovendo já há alguns anos campanhas de aumento do consumo interno, difundindo receitas de carne de porco. Assim, o aumento do consumo é uma boa notícia sob o ponto de vista social, já que milhares de famílias vivem da sua cultura.

Crises no Oriente Médio e em países árabes não afetam a exportação de carne de porco, porque lá não comem mesmo por motivos religiosos. Mas, na Europa, a carne de porco é de longe a mais consumida e está bem à frente da carne bovina. É também a mais consumida no mundo.

Agora no Brasil, nossa tradição alimentar opta pela carne bovina. Mas, quando o preço se altera como se vê agora, o bolso manda mais do que o estômago. E o paladar vai acabar descobrindo outra opção. 

 

Clique aqui para assistir a matéria: http://g1.globo.com/bom-dia-brasil/noticia/2011/02/bolso-manda-mais-do-que-estomago-e-brasileiros-optam-por-carne-suina.html

Fonte: Bom Dia Brasil

Setor de Indústrias Gráficas (SIG), Quadra 01 – Ed. Barão do Rio Branco, sala 118 | CEP: 70.610-410 | Brasília - DF
Telefone: (61) 3030-3200
Design: Conectando Pessoas