Câmara dos Deputados: ABCS discute política de preços mínimos para a carne suína

 

Câmara dos Deputados: ABCS discute política de preços mínimos para a carne suína

 

A batalha da Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS) pela sustentabilidade do setor não para.  A política de garantia dos preços mínimos sempre foi um dos maiores anseios da atividade e pode se tornar uma realidade para o produtor, isso por que nos próximos dias a entidade levará à Câmara dos Deputados um projeto que reivindica o estabelecimento de um preço mínimo pago pelo quilo do suíno vivo, permitindo ao setor enfrentar crises setoriais com mais vigor.

“Por meio da Frente Parlamentar da Agropecuária, identificamos um projeto sobre o tema existente na Comissão de Finanças e Tributação o que agilizará o processo de aprovação”, explicou o presidente da ABCS, Marcelo Lopes, ressaltando que a relatoria está sob coordenação do Deputado Federal André Vargas (PT-PR) e em breve será direcionada ao Deputado Federal Jeronimo Goergen (PP-RS), “um grande defensor dos direitos e reivindicações do setor suinícola, o que aumenta consideravelmente as possibilidades de aceitação e efetivação da PGPM”, comentou Lopes.

Atualmente, a produção brasileira de carne suína vem se destacando no cenário econômico nacional e internacional. O Brasil já é o quarto maior produtor e exportador mundial de carne suína. O setor agroindustrial suinícola, composto de grandes indústrias de capital nacional e multinacional, é alicerçado num conjunto de pequenos e médios produtores de suínos que juntos somam mais de 70% da produção total brasileira de carne suína. Este contingente de produtores, em sua maioria ligada à agroindústria através de contratos de integração, perfaz um contingente de mais de 50 mil suinocultores, o que reforça não só sua importância para a sustentabilidade do agronegócio, mas também quadro social brasileiro.

“Apesar da pujança dos números e dos grandes complexos agroindústrias envolvidas nesta cadeia produtiva, o produtor de suínos em si é o elo mais fraco deste setor, e constantemente é atingido por crises que já se tornaram cíclicas no setor”, destaca o Deputado, reivindicando a política de preços mínimos. Para o presidente, nestes momentos de crise, as políticas públicas de abastecimento de grãos podem fazer toda a diferença, “no entanto ainda falta a este setor o alicerce da política de preços mínimos definida pela PGPM”.

 

 

Setor de Indústrias Gráficas (SIG), Quadra 01 – Ed. Barão do Rio Branco, sala 118 | CEP: 70.610-410 | Brasília - DF
Telefone: (61) 3030-3200
Design: Conectando Pessoas