Espírito Santo inicia o Projeto em Vitória, Vila Velha e Guarapari

Boletim Informativo da ABCS - PNDS em ação
Brasília – A Associação dos Suinocultores do Estado do Espírito Santo (ASES) iniciou neste mês as primeiras ações do estado, como parte do Projeto Nacional de Desenvolvimento da Suinocultura, liderado pela Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS) em parceria com o SEBRAE Nacional e a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). Com duração de três anos, o plano de trabalho desenvolvido pelo Espírito Santo contará com recursos financeiros no valor de R$ 917 mil, com participações das entidades nacionais e estaduais, além de empresários no setor. O acordo de resultados que visa o compromisso das entidades em apoiar as ações e demais iniciativas necessárias à obtenção dos resultados do projeto já foi assinado pelos responsáveis de cada instituição, liberando assim a execução das ações previstas no plano de trabalho, segundo o gestor do comitê executivo do PNDS no Sebrae Nacional, João Fernando Nunes de Almeida.

A primeira etapa da proposta, que será executada pelos agentes das associações e do Sebrae estadual, tem como objetivo capacitar os colaboradores dos frigoríficos para o fornecimento de cortes aos supermercados da Grande Vitória. Durante dois dias, os funcionários de supermercados e frigoríficos nas cidades de Vitória, Vila Velha e Guarapari, considerados grandes centros de consumo, participarão do treinamento com mestre açougueiro Daniel Furtado, especialista responsável pelos mais de 80 cortes desenvolvidos pela Campanha “Um Novo Olhar Sobre a Carne Suína”, realizada em 2008. A ação nos estabelecimentos deverá perdurar até o final deste primeiro semestre segundo a coordenadora do PNDS, Lívia Machado. “Nosso objetivo é aumentar as vendas de cortes suínos através da qualificação e treinamento dos colaboradores dos frigoríficos a fim de ampliar as formas de apresentação e disponibilidade da carne suína ao consumidor. Para alcançarmos nosso objetivo é preciso que tenhamos produtos nas gôndolas, já sabemos que o mercado consumidor gosta da carne suína, mas agora é preciso que a encontrem no formato e porcionamento adequados”, explica. Segundo a coordenadora, também há possibilidade da ASES adquirir máquinas para moer carne e os oferecer aos estabelecimentos em comodato. “É uma forma de incentivar ainda mais a realização dos novos formatos”, diz.

O coordenador do Projeto pela ASES, Nélio Hand, explica que os cortes serão produzidos não só pelos açougues das redes de supermercados, mas também pelos frigoríficos fornecedores. “Isso demonstra que o Espírito Santo tem condições de oferecer a carne suína em porções pequenas e atender a essa demanda. Com os treinamentos nas redes e nos frigoríficos ampliaremos a distribuição e a comercialização dos novos formatos”, conta. Segundo Nélio, o supermercado Perim em Vila Velha e o Santo Antônio em Guarapari já terão os cortes disponibilizados a partir da 1ª quinzena de abril. Para José Puppin, presidente da ASES, as ações beneficiarão toda a cadeia produtiva, com o aumento de consumo será preciso aumentar a produção e para isso investir em sanidade, manejo e tecnologia. “O produtor está confiante nos resultados das ações, já que o ano de 2009 trouxe muitos prejuízos aos suinocultores e esse é um momento de recuperar as vendas e sanar as dívidas” conta.

Outra ação do projeto, já em andamento, é o levantamento e mapeamento do consumo e as novas opções de inserção da carne suína em frigoríficos e supermercados. A ideia é levantar dados que possam servir de subsídios para realização de ações que visam à melhoria do ciclo de consumo do produto, explica Thiago Martins, gestor de projetos do Sebrae-ES. “Os primeiros dados da amostragem já apresentaram que, somente nos 7 municípios da Grande Vitória, 854 estabelecimentos entre hipermercados, supermercados e açougues que atualmente comercializam carne suína têm interesse em disponibilizar os novos cortes”, explica o gestor do Sebrae. Além de auxiliar o setor a conhecer a realidade e o potencial do mercado pesquisado, o levantamento irá complementar as informações que serão utilizadas nas ações do PNDS.

Para a gerente da unidade de atendimento ao agronegócio do Sebrae-ES, Letícia Toniato Simões, as ações irão impulsionar a cadeia como um todo, desde o pequeno produtor às redes de supermercados e açougues. “Promover a carne suína nesse conceito que tem sido desenvolvido é de extrema importância para o setor, pois todos os elos acabam se beneficiando, o consumidor por encontrar o produto que deseja, no formato que deseja, os varejistas agregam valor, abrindo competitividade da carne suína com outras carnes e produtor, que precisa aumentar seu plantel e investir em tecnologia para atender a essa nova demanda”, finaliza. O presidente do comitê executivo do PNDS, Rubens Valentini, explica que o projeto está sendo conduzido e orientado com todo o “acervo de conhecimento” adquirido na Campanha “Um Novo Olhar” realizada em diversos estados, desde 2006. “O projeto se baseia nos entraves encontrados durante a campanha, ou seja, nós sabemos que a carne suína quando apresentada de forma adequada, em cortes pequenos e diversificados, tem grande aceitação pelos consumidores. Porém, para que esse produto chegue nesses parâmetros até as gôndolas é preciso uma reestruturação da cadeia, desde a produção até o ponto de venda. Com o desenvolvimento da indústria e a adequação nas unidades de abate e processamento conseguiremos apresentar ao varejista um produto com maior valor agregado e com isso, atender o consumidor com o produto que ele deseja”, finaliza.

O Espírito Santo é recordista nacional de resultados da campanha “Um Novo Olhar” realizada em 2008, no Supermercado Perim, em Cachoeiro do Itapemerim, com aumento de 238% nas vendas. Esse resultado somente foi obtido com o empenho de parceiros da Associação e do Sebrae Nacional, com destaque para Nélio Hand e Thiago Matins, que acompanharam o dia-a-dia da Campanha e das vendas nos estabelecimentos.
 
Setor de Indústrias Gráficas (SIG), Quadra 01 – Ed. Barão do Rio Branco, sala 118 | CEP: 70.610-410 | Brasília - DF
Telefone: (61) 3030-3200
Design: Conectando Pessoas