Produtores de Rio Verde participam de Fórum de Bem-Estar

Produtores de Rio Verde participam de Fórum de Bem-Estar

Promovida pela ABCS, em parceria com AGS, Agigo e Aginterp, ação mobilizou mais de 100 criadores e profissionais

O tema bem-estar animal vem sendo amplamente discutido em todo o mundo. Em âmbito nacional, a Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS) tem liderado o diálogo buscando orientar os produtores sobre o tema. Com esse intuito, a entidade, em parceria com a Associação Goiana de Suinocultores (AGS), a Associação dos Granjeiros Integrados do Estado de Goiás (Agigo) e a Associação Goiana de Integrados Produtores de Aves, Ovos e Suínos, (Aginterp), promoveu, no final de junho, a 4ª edição do Fórum de Bem-Estar que contou com mais de 100 participantes entre produtores e lideranças do setor.

O diretor de relações institucionais da AGIGO, Marcelo Valles Bento, acredita que a ampla participação dos suinocultores no Fórum mostrou a atenção da categoria com o tema. Ele disse, também, que o evento foi fundamental para os produtores conhecesse a atuação da ABCS e apoiassem a adesão da associação regional ao Fundo Nacional de Desenvolvimento da Suinocultura (FNDS).

Uma iniciativa do Projeto Nacional de Desenvolvimento da Suinocultura (PNDS) e Fundo Nacional de Desenvolvimento da Suinocultura (FNDS), em parceria com o Sebrae Nacional, o Fórum busca fomentar planejamentos sustentáveis e economicamente viáveis, ampliando as discussões e favorecendo o surgimento de um posicionamento comum do produtor em relação as exigências de BEA por parte do mercado. “Queremos oportunizar ao suinocultor informação de qualidade e atualizada sobre o assunto para que ele possa conhecer os modelos de bem-estar implantados em outros países e decidir qual se adequa a sua realidade”, explicou o presidente da ABCS, Marcelo Lopes.

Aberto com painel do médico veterinário, consultor da Integrall e associado da Agigo, Iuri Machado, o evento abordou tendências do mercado suinícola e pontuou como grandes produtores como União Europeia, Canadá, Estados Unidos, tratam a questão do bem-estar.

Segundo o veterinário, a pressão pela aplicação de critérios de bem- estar animal por parte de consumidores, de formadores de opinião – como personalidades da televisão – de grandes redes alimentícia, por exemplo MC Donalds, fizeram com que o mercado precisasse se adequar.  Devido a essas exigências muitos países já preveem a adoção de boas práticas em legislação, como por exemplo, Europa e Canadá. Já nos Estados Unidos mesmo sem legislação mais de 23% das granjas usam modelos que atendam a esses critérios.

No Brasil, tem sido bastante fomentado o debate sobre a adoção de baias coletivas para as matrizes em gestação. Sendo um dos marcos a assinatura de termo de cooperação entre o Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (MAPA) e a ABCS que tem por intuito fortalecer o diálogo sobre o tema.  No âmbito legislativo existe apenas a Instrução Normativa 56 de 2008, que orienta sobre boas práticas, como manejo cuidadoso, instalações e transporte adequados que reduzam o estresse e evite contusões.

“O consumidor hoje está cada vez mais atento a como são produzidos os alimentos. O bem-estar é uma demanda que logo vai chegar ao produtor brasileiros e é preciso se adaptar para conseguir se manter no mercado”, explicou o presidente da AGS, Fernando Cordeiro de Barros.

A opinião também é compartilhada pelo presidente da AGINTERP, Pedro Claudio Junior. Segundo ele, as discussões foram importantes para chamar atenção do produtor para as exigências de BEA do mercado e medidas que podem ser tomadas para atende-las. “O Fórum vai nos ajudar a encontrar pontos da aplicação de bem-estar que tragam mais resultados e maior produtividade”, mencionou.

Fonte: ABCS
Publicado em 14/07/2015

Setor de Indústrias Gráficas (SIG), Quadra 01 – Ed. Barão do Rio Branco, sala 118 | CEP: 70.610-410 | Brasília - DF
Telefone: (61) 3030-3200
Design: Conectando Pessoas