Painel da ABCS na PEC Nordeste destaca PNDS e levantamento sobre a suinocultura cearense

 

Painel da ABCS na PEC Nordeste destaca PNDS e levantamento sobre a suinocultura cearense  

Brasília - Entre os dias 16 e 17 de junho, a Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS) participou do 14º Seminário Nordestino de Pecuária – PECNORDESTE e da Feira de Produtos e Serviços Agropecuários, que aconteceu no Centro de Convenções do Ceará, em Fortaleza. Convidados pela Associação de Suinocultores do Ceará (ASCE), estiveram presentes o diretor-executivo da ABCS, Fabiano Coser e a coordenadora do Projeto Nacional de Desenvolvimento da Suinocultura (PNDS), Lívia Machado. Coser apresentou o levantamento de dados da suinocultura do Ceará, através do estudo das principais regiões produtoras e dos sistemas de criação existentes que vem sendo feito com a coordenação da ABCS e supervisão da Universidade de Brasília (UnB). Lívia apresentou os últimos resultados da implantação do PNDS em todo o país.

O levantamento da suinocultura nordestina é considerado estratégico pela ABCS, tanto pela importância do risco sanitário que a região representa, quanto pela relevância do mercado consumidor da região, que reúne 44 milhões de habitantes e um dos mais baixos índices de consumo de carne suína no país. Trabalho semelhante já foi realizado na Paraíba e na Bahia, numa parceria acadêmica que conta também com a colaboração da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e a Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE)

A região Nordeste consome, atualmente, apenas 4kg de carne suína per capita/ano. Este baixo consumo é reflete as condições sanitárias precárias que ainda perduram na região e também da falta de maior esclarecimento dos consumidores em relação às qualidades desta carne, explicou Fabiano Coser. Segundo ele, que também ministrou uma palestra sobre o panorama do mercado da carne suína e importância dessa proteína para a economia do estado, o painel realizado trouxe dados que serão a base para a criação do plano de trabalho para o estado, que no ano que vem deverá fazer parte do PNDS. “Com essas informações conseguiremos atuar de forma direta e eficaz nas dificuldades encontradas na produção, além de montarmos um diagnóstico para a participação no Projeto, com ações específicas que atendam as necessidades do Ceará”.

Para Paulo Helder, presidente da ASCE, a participação da ABCS durante o evento foi primordial para levar ao suinocultor local os trabalhos que têm sido realizados nos diversos estados à favor do desenvolvimento do setor e também a importância da mobilização de cada produtor. “É preciso que o produtor se conscientize da importância de termos no estado um projeto que trabalhe todos os elos da cadeia e que traga para cá mais tecnologia, melhores práticas de manejo e, consequentemente, um aumento de consumo do carne suína que refletirá no aumento de produção de cada suinocultor”, explicou.

Durante a palestra, a coordenadora do PNDS, Lívia Machado, apresentou as ações que têm sido realizadas nos estados participantes e ressaltou a importância de parcerias e a necessidade de articulação e envolvimento do setor. “Desenvolver esse trabalho no Nordeste é estratégico para o alcance da nossa meta nacional de aumento de consumo, agora só depende da ASCE e de seus associados abraçarem essa causa”, ressaltou a coordenadora. O articulador da Unidade Setorial do Agronegócio do Sebrae/CE, Germano Bluhm, acredita nos resultados que o projeto possa trazer para o aumento de consumo da carne suína no estado. “Desmistificar preconceitos e levar à população informações nutricionais sobre a carne suína é um bom ponto de partida para iniciarmos essa mudança no hábito de consumo”. Segundo ele, o projeto será estudado junto a outros setores do Sebrae. “Ainda teremos algumas reuniões para se discutir orçamento e disponibilidade, mas nossa perspectiva de participação é muito grande”, finaliza Bluhm.

 A expectativa dos organizadores do evento, é que o PECNordeste tenha reunido 32 mil visitantes de 55 cidades do Ceará e com uma estimativa de rodada de negócios em R$ 28 milhões, além de serem capacitados 4.100 alunos nos cursos técnicos realizados.

Legenda foto: Entidades de reúnem durante o PECNordeste. Da esquerda para a direita: Marcos Tavares, diretor-técnico da ASCE; João Fernando, gestor da Unidade de Atendimento Coletivo Agronegócios; Lívia Machado, coordenadora do PNDS; Paulo Helder, presidente da ASCE; Fabiano Coser, diretor-executivo da ABCS e Vanderilo Pessoa, vice-presidente da ASCE.
Setor de Indústrias Gráficas (SIG), Quadra 01 – Ed. Barão do Rio Branco, sala 118 | CEP: 70.610-410 | Brasília - DF
Telefone: (61) 3030-3200
Design: Conectando Pessoas