Produtores Espanhóis conhecem suinocultura brasileira

 

Produtores Espanhóis conhecem suinocultura brasileira e defendem importância do mercado interno 

Brasília – Após um mês de retorno da missão Européia formada por quinze profissionais brasileiros, que visitaram granjas, indústrias, cooperativas, universidades, e órgãos governamentais da Espanha e França, para conhecer a fundo todos os elos da cadeia produtiva, do processamento e da rastreabilidade da carne suína de dois dos mais importantes países da suinocultura europeia, a Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS) junto à Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e Cooperativismo (SDA) do Mapa, receberam ao longo dessa semana uma equipe de produtores da Espanha.

Ignacio Sanchiz, veterinário e dono do maior plantel de suínos da Espanha com mais de 11 mil matrizes, ao lado de seu sobrinho e também produtor, Lucas Sanchiz e do Adido Agrícola da Embaixada da Espanha no Brasil, José Maria Gómez Nieves, conheceram o sistema de produção na granja Miunça, do Conselheiro de Mercado da ABCS, Rubens Valentini. Eles também estiveram na Agropecupéria Pinesso e também na cooperativa de São Gabriel do Oeste, ambas no Mato Grosso do Sul.

Diante da produção de mais de 2.400 matrizes na granja Miunça, os espanhóis se admiraram com a simplicidade das instalações e também do baixo custo de manutenção da granja, quando comparado aos modelos europeus, em que os animais são mantidos em ambiente com temperatura controlada, totalmente fechados e sem contato com o ambiente exterior. “Somente em energia, gastamos mais de 7 mil euros por mês”, contou Ignacio. Ainda sobre produção, o espanhol também comentou sobre os índices de produtividade das granjas visitadas que, apesar de diferentes condições de estruturas, são muito próximos dos índices de produtividade da Espanha. Para Rubens Valentini, as condições atuais permitem aos animais, mesmo confinados, uma qualidade de bem-estar superior àquela encontrada nos modelos europeus.

Em reunião com o Secretário de Desenvolvimento Agropecuário e Cooperativismo (SDA) do Mapa, Marcio Portocarrero, e com o Diretor-executivo da ABCS, Fabiano Coser, onde que foram apresentados aos espanhóis os números do setor e os novos projetos em desenvolvimento, Ignacio e Lucas vislumbraram o potencial do mercado brasileiro. “Vocês tem uma grande possibilidade de aumentar o consumo dentro do Brasil - o número de habitantes é bastante alto para um consumo de carne suína in natura quase inexpressivo quando comparado a outros países do globo”.Quanto ao segmento exportador, Ignacio Sanchiz, fez um alerta para o quadro de  concentração em direção a um único grande país como importador de carne suína, a Rússia. “Na minha visão, vocês precisam ter mais garantias de mercado, tenho certeza que encontrarão essa segurança comercializando para vocês mesmos”, finalizou, ressaltando o mercado doméstico.

Setor de Indústrias Gráficas (SIG), Quadra 01 – Ed. Barão do Rio Branco, sala 118 | CEP: 70.610-410 | Brasília - DF
Telefone: (61) 3030-3200
Design: Conectando Pessoas