Notícias

Fale com a comunicação da ABCS

Voltar Publicado em: sexta-feira, 18 de dezembro de 2020, 9h14

MAPA junto a ABCS e ABEGS assinam acordo para ampliar a Estação Quarentenária de Cananéia

O Acordo assinado permitirá ampliar a capacidade de alojamento do quarentenário, e assim aumentar o número de importações realizadas pelas empresas de genéticas

Suinocultura nacional fecha ano com grandes conquistas para o setor. Isso porque, na última quinta-feira (17), de forma remota o Presidente da Associação Brasileira de Criadores de Suínos (ABCS), Marcelo Lopes e o Presidente da Associação Brasileira de Empresas de Genética de Suínos (ABEGS), Alexandre Rosa, estiveram reunidos com a Ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Tereza Cristina para assinar o Acordo de Cooperação Técnica, que visa promover a ampliação da Estação Quarentenária de Cananéia (EQC).

O presidente da ABCS lembrou que essa parceria teve início em 2015, com assinatura do Protocolo de Intenções, que viabilizou a reforma e ampliação das estruturas da Estação Quarentenária de Cananéia, proporcionando a recepção e quarentena de suínos importados para fins de reprodução. “Em 2019/2020, verificou-se a necessidade de ampliação da EQC, devido ao aumento do número de empresas de genéticas e das importações dos reprodutores. Assim, este ano elaboramos em conjunto com a Secretária de Defesa Agropecuária (SDA) e com a Consultoria Jurídica do MAPA o novo documento, a nossa pretensão é ampliar e reformar a EQC, logo no primeiro semestre de 2021”.

Localizada no município de Cananéia, que é formado por várias ilhas no litoral de São Paulo, a região apresenta condições estratégicas de isolamento, na qual reduz o risco de disseminação de patógenos, e assim resguarda o rebanho nacional, evitando a entrada de doenças exóticas de alto impacto ao país. A EQC pertencente ao MAPA sob a gestão do Serviço Veterinário Oficial (SVO), sendo que a área de suínos reprodutores importados é de responsabilidade do MAPA, com apoio da ABEGS e ABCS. “O trabalho colaborativo entre o SVO e a inciativa privada na EQC é extremamente minucioso e necessário para manter o status sanitário do rebanho brasileiro”, explica o presidente da ABCS.

A Ministra e o Secretário da SDA José Guilherme Leal reforçaram que a iniciativa é importante para a suinocultura nacional e consequentemente para o Brasil, pois e EQC é uma estrutura essencial para a proteção do rebanho brasileiro, que visa proteger a saúde dos animais e minimizar o risco de entrada de doenças. “O ACT mostra a organização do setor que junto com o MAPA estão fortalecendo a suinocultura nacional”. A Ministra enfatizou que quer acompanhar a aprovação do projeto e participar da entrega da ampliação da EQC, no segundo semestre, conforme o cronograma do projeto. “Espero poder fazer essa entrega junto com ABCS e ABEGS, tomara que seja presencial, pois ainda não tive a oportunidade de conhecer a EQC”.

O presidente da ABEGS, Alexandre Rosa explicou que o isolamento oferecido na EQC garante a qualidade da genética e do plantel brasileiro. Rosa reforçou ainda que o Brasil já é um exportador de tecnologia e genética e que atualmente uma das prioridades da ABEGS é, cada vez mais, conquistar novos mercados exportadores, como por exemplo a China.

Ainda na audiência a diretora técnica da ABCS, Charli Ludtke explicou que a EQC pode receber hoje até 12 importações por ano, que são realizadas pelas empresas de genéticas. “Os grupos de animais importados permanecem em quarentena em seu respectivo sítio isolado, por pelo menos 30 dias, assim e com a ampliação, abrindo em 2021 os sítios 3 e 4, nossa expectativa é poder dobrar o número de importações, ou seja, 24 grupos por ano”. Ludtke esclareceu que a demanda de importação por parte das empresas de genéticas para os próximos anos, extrapola a capacidade de alojamento nos sítios existentes na EQC, por isso precisa-se de mais infraestrutura de alojamento (novos sítios) para poder atender o maior número de grupos de reprodutores suínos importados. “Sem dúvida, o Brasil tem uma condição diferenciada com a sanidade do rebanho, sendo a operacionalização da EQC fundamental para a manutenção e avanço em biosseguridade nacional”, disse Ludtke.

Ao final da audiência a Ministra Tereza Cristina frisou a importância da obra e assinou o ACT em conjunto com o Secretário da SDA José Guilherme Leal. Já o Presidente da ABCS, Marcelo Lopes garantiu que as obras começam no início do primeiro semestre. “Agora é mãos a obra, pois com ACT assinado entre as partes temos a segurança jurídica para dar continuidade a nossa parceria pública-privada”. Para fechar a Ministra elogiou o setor novamente e colocou a Pasta à disposição da suinocultura nacional.