História dos Suínos

Foto História dos Suínos 1



Pintura rupestre de um javali selvagem, Sus scrofa, principal ancestral do suíno doméstico. Sua existência remonta há mais de 12.000 anos A.C. conforme expressão dos habitantes do período paleolítico encontrados em 1878 nas grutas de Altamira, na Espanha.

Do lado esquerdo vão estar os botões de acesso aos campos dos assunto abaixo: 

 


 


 

Foto História dos Suínos 2


Os suínos (Sus domesticus) apareceram na terra há mais de 40 milhões de anos. Sua domesticação, antes creditada ao chineses, remonta há mais de 10.000 anos atrás em aldeias do leste da Turquia., conforme recente pesquisa do arqueólogo americano M. Rosemberg, que descobriu que os primeiros homens de aldeias fixas, tinham como principal fonte de alimento os suínos, e não cereais como a cevada e o trigo.

 

 


História dos Suínos 3


A espécie evoluiu a partir do javali selvagem, embora haja controvérsia quanto à espécie exata: há quem acredite que descendem do Sus scrofa, javali que habitava grandes regiões da Europa, e também quem acredite que sua origem é o Sus vittatus, que vivia em grandes quantidades na Ásia e na bacia do Mar Mediterrâne. 

Sus scrofa, espécie que deu origem ao suíno doméstico.


 

Também foi na antigüidade que se originaram as primeiras polêmicas que cercam o consumo da carne suína. Moisés, o legislador dos hebreus, proibiu o consumo da carne de porco para seu povo, para evitar verminoses comuns, como a solitária, da qual era vítima o povo judeu.

A mais antiga receita culinária de carne suína teria sido registrada na China, durante o Império Zhou, por volta do ano 500 A.C.. O prato não faria feio nos dias de hoje: consistia num porquinho de leite, recheado com tâmaras, envolvido em palha recoberta por argila e assado num buraco revestido de pedras em brasa. Essa técnica de preparação é, por sinal, a mesma utilizada atualmente para assar porcos na Polinésia e nas ilhas do Havaí, dando origem a muitas receitas típicas.

Durante o Império Romano, houve grandes criações e era apreciado sua carne em festas da Grande Roma e também pelo povo. Carlos Magno prescrevia para seus soldados o consumo da carne de suíno. Nesta época foram editadas as leis sálica e borgonhesa, que puniam com severidade os ladrões e matadores de porcos.

Na idade média o consumo da carne de porco era grande, passando a ser símbolo de gula, volúpia e luxúria.

Os suínos chegaram ao continente americano na segunda viagem de Colombo, que os trouxe em 1494 e soltou-os na selva. Em 1499, já eram numerosíssimos e prejudicavam muito as plantações em todo o continente. Os descendentes desses porcos chegaram a povoar grande parte da América do Norte. Também chegaram até o Equador, Peru, Colômbia e Venezuela.

Foram introduzidos no Brasil por Martim Afonso de Souza em 1532. No início, os porcos brasileiros eram provenientes de cruzamentos entre as raças portuguesas, e não havia preocupação alguma com a seleção de matrizes. Com o tempo, criadores brasileiros passaram a desenvolver raças próprias.

Outro episódio que comprova a excelente adaptação de porcos a ambientes selvagens americanos ocorreu após a Guerra do Paraguai: após a destruição das fazendas paraguaias por soldados, os suínos foram soltos no campo. Até hoje, a região central do Brasil tem porcos selvagens descendentes destes animais.

Setor de Indústrias Gráficas (SIG), Quadra 01 – Ed. Barão do Rio Branco, sala 118 | CEP: 70.610-410 | Brasília - DF
Telefone: (61) 3030-3200
Design: Conectando Pessoas