Triquinelose

É uma infecção por larvas de um nematelminto muito versátil, a Trichinella spiralis. Este parasita pode infestar virtualmente todos os mamíferos que se alimentam de carne. Diferentemente das outras doenças parasitárias por nematelmintos que foram discutidas, a triquinelose não é uma infestação intestinal no sentido habitual. É a migração da T. spiralis através do corpo e seu encistamento (ficando encerrada numa cápsula) num músculo que cria sérios problemas. O parasita é especialmente comum em ratos e suínos que se alimentam de lixo não cozido. A doença ocorre no homem quando ele come carne de porco infectada mal cozida.

Embora a triquinelose algumas vezes seja encontrada em cidades, é muito mais comum em áreas rurais, particularmente nas áreas de criação de suínos nos Estados Unidos. Como muitos estados têm adotado leis requerendo que todo o lixo que alimente porcos seja esterilizado, a incidência da infestação tem sido reduzida.

Tipicamente, o ciclo de vida do parasita começa quando um indivíduo ou um animal se alimenta de carne contaminada contendo larvas. Sucos digestivos do estômago dissolvem o cisto semelhante a uma cápsula e liberam os parasitas. As larvas da Trichinella então penetram no intestino, onde amadurecem e se acasalam. As fêmeas do verme então eliminam larvas no sistema circulatório, onde fazem seu trajeto através de capilares até as fibras musculares. Uma vez nas fibras musculares, encistam novamente e começam uma vida algumas vezes longa.

O caso habitual de triquinelose não é severo nem produz desconforto ou sintomas notáveis que freqüentemente passem despercebidos ou sejam ignorados – epigastralgia discreta e dores musculares e articulares.

A invasão por um grande número de parasitas, contudo, produz sintomas que simulam a intoxicação alimentar seguida por "reumatismo muscular" severo.

Embora se possa suspeitar de triquinelose com base em sinais clínicos, geralmente é diagnosticada em decorrência de: 1) exame no sangue que detecte aumento do número de eosinófilos, um tipo de leucócito; ou 2) exame microscópico do tecido muscular para detectar as larvas.

Todos os fatos básicos para a prevenção de triquinelose no homem são conhecidos há anos. As triquinas podem morrer pelo cozimento (permitindo que partes da carne alcancem pelo menos 65°C), congelamento (-8°C por 36 horas) ou irradiação. Defumar, fazer conservas e outros métodos de processamento ou preservação de carnes não matam os parasitas.

Se for diagnosticada infestação enquanto o paciente ainda está tendo sintomas digestivos, poderão ser usadas drogas antiparasitárias comuns para desalojar alguns dos vermes.

Uma vez iniciado o encistamento do parasita, o tratamento será sintomático. Na maioria dos casos, as chances de recuperação são boas. O tiabendazol pode ajudar os pacientes com triquinose, se o tratamento for começado muito cedo, durante o estado de incubação. O tratamento com corticosteróides pode aliviar a reação inflamatória durante o estado de migração larvária e deve ser dado juntamente com o tiabendazol. Os esteróides, contudo, podem prolongar a fase intestinal da infestação.

Setor de Indústrias Gráficas (SIG), Quadra 01 – Ed. Barão do Rio Branco, sala 118 | CEP: 70.610-410 | Brasília - DF
Telefone: (61) 3030-3200
Design: Conectando Pessoas