Realização de leilão de milho deve ser decidida em reunião hoje


Realização de leilão de milho deve ser decidida em reunião hoje


Brasília, 29 - Uma reunião hoje à tarde entre técnicos dos ministérios da Agricultura e da Fazenda deve aprovar as mudanças nos cálculos para reduzir o prêmio de Valor de Escoamento de Produto (VEP), que permitirão a realização de leilões para venda de milho dos estoques oficiais. O cereal armazenado principalmente em Mato Grosso será vendido para avicultores, suinocultores e criadores de gado de leite do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, norte de Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro e regiões Norte e Nordeste.

A informação partiu do presidente da Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS), Marcelo Lopes, que hoje pela manhã se reuniu com a diretoria da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) para discutir a questão das vendas de milho dos estoques oficiais. Lopes afirmou que "existe boa vontade" tanto na Conab como no Ministério da Agricultura, mas as decisões dependem também da aprovação dos ministérios da Fazenda e do Planejamento.

O governo primeiro adiou e depois cancelou os leilões de VEP, porque o preço final do cereal posto no destino estava muito acima dos valores de mercado. Além de cobrar a realização dos leilões de VEP, a ABCS reivindica a inclusão de São Paulo entre os destinos, pois o Estado têm um déficit de 3 milhões de toneladas no abastecimento de milho. A ABCS pediu também que as vendas de milho em balcão por R$ 21/saca na Região Sul não fiquem restritas apenas aos produtores enquadrados no programa da agricultura familiar.

Lopes explicou que o setor tem urgência, porque nos últimos meses vêm acumulando prejuízos, em virtude da alta dos custos de produção, provocada pelo encarecimento da soja e do milho. Os prejuízos para este ano são estimados pela entidade em R$ 3,5 bilhões. Ele diz que a situação é mais grave no Rio Grande do Sul, onde os criadores recebem R$ 1,70 por quilo de suíno vivo, enquanto o custo de produção é de R$ 2,80.

Em documento encaminhado à Secretaria de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, a ABCS sugere ao governo que sejam realizados leilões de milho direcionados para os criadores de suínos, com base no seu plantel. A proposta é que cada criador tenha acesso a 4.500 kg do cereal por ano, por matriz alojada. Outro pedido é a criação de uma linha de financiamento para custeio, com período de carência de um ano e pagamento de três anos, com juros 3,5% ao ano.

Outra sugestão apresentada pelo setor é o desenvolvimento de uma linha de opções para compra de milho por parte do criador de suínos. A ABCS também defende a aprovação do projeto de lei do senador Valdir Raupp (PMDB-RO), que propõe a criação de uma política de garantia de preço mínimo para a carne suína. Eles pedem, em caráter emergencial, por 90 dias, um subsídio de R$ 0,80 por cada quilo de carne vendido pelo criador.

 

Fonte: G1
Publicado em 29/3/2012

Setor de Indústrias Gráficas (SIG), Quadra 01 – Ed. Barão do Rio Branco, sala 118 | CEP: 70.610-410 | Brasília - DF
Telefone: (61) 3030-3200
Design: Conectando Pessoas