Crise da Suinocultura: Representatividades se unem para auxiliar o setor em SC

Crise da Suinocultura: Representatividades se unem para auxiliar o setor em SC

 

Sem fôlego para respirar, a suinocultura segue enfrentando dias e meses de dificuldades. Para unir forças, a Associação Catarinense de Criadores de Suínos e a Associação dos Municípios do Alto Uruguai Catarinense reuniram as principais representatividades da região. A preocupação com a suinocultura é unânime entre os municípios. “As crises estão freqüentes e isso traz prejuízos não apenas para os produtores, mas para toda a economia”, descreve o presidente da Amauc, Aldair Rigo.

Os prefeitos da Região do Alto Uruguai Catarinense, maior produtora de suínos do país, afirmam que os incentivos em âmbito municipal são conquistados, mas é preciso mais um apoio maior. “Nos últimos anos, observamos uma realidade triste na produção de suínos, o que está em nossas mãos conseguimos desenvolver através de incentivos nas propriedades, mas vai além, todos os governos precisam ajudar”, destaca o prefeito de Concórdia, João Girardi.

A união entre as representatividades visa o fortalecimento do setor e a sensibilização do governo. “Um exemplo claro da crise pode ser visto em Xavantina, capital per capita de suínos, em que a maioria é produtor independente. Por lá, as dificuldades são tantas que toda a economia sentirá os efeitos da falta de rentabilidade da suinocultura”, acrescenta o prefeito de Xavantina, Ari Parizotto.

Com a reunião, as representatividades elaboraram um documento solicitando novamente ao governo, depois de um ano, ações emergenciais e futuras.

Emergenciais:

Milho modalidade PEP (Prêmio de Escoamento de Produção) no valor de R$ 8,00/Saca SC

Isenção do ICMS Interestadual (60 dias para leitões até 30kg).

Ações a curto e médio prazo

Incentivo para a construção de silos para armazenagem de grãos, com juros subsidiados pelo governo, com apoio das prefeituras através de associações comunitárias ou núcleo de suinocultores;

Acompanhamento do plantel e produção de suínos no estado para que não haja excesso produção;

Manter estoque permanente de milho no estado para que possa atender a demanda;

Incentivar o consumo da carne suína nos órgãos estaduais e nos municípios.

E maior atenção e aprovação dos projetos:

Projeto de Lei, nº 8.023/2010, de autoria da Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural, onde dispõe sobre a Integração Vertical na agropecuária e estabelece condições, obrigações e responsabilidades nas relações contratuais entre produtores integrados e agroindústrias integradoras.

Projeto de Lei do Senado, nº 330/2011, de autoria da Senadora Ana Amélia, que trata da Integração Vertical na agropecuária. Esses dispositivos têm como objetivo regular e normatizar a relação entre produtores integrados e agroindústrias. A aprovação desse PLS, assim como do PL 8.023/2010, trará benefícios para toda a cadeia produtiva, aumentando a eficiência das relações contratuais e promovendo ainda mais o Brasil como referência na suinocultura mundial.

Projeto de Lei, nº 7.416/2010, de autoria do Senador Valdir Raupp, que trata da inclusão da carne suína na pauta de produtos amparados pela Política de Garantia de Preços Mínimos (PGPM), evitando, assim, que a volatilidade do preço dos insumos possa inviabilizar a produção de suínos (como o milho, por exemplo, que saiu de R$15,00/saca 60kg para R$32,00/saca 60kg em algumas regiões do País).

Outro assunto abordado durante o encontro com os prefeitos foi o SUASA - Sistema Unificado de Atenção à Sanidade Agropecuária. Uma parceria que está sendo constituída com a AMAUC, projeto que já está em andamento e caminha a passos largos. De acordo Roberto Kurtz Pereira - Secretário Executivo AMAUC, os municípios tem muito interesse na proposta. “ O SUASA será uma forma de fortalecer as pequenas agroindústrias e esta parceria com a ACCS irá contribuir com o processo” finaliza.

 

Fonte: ACCS
Publicado em 15/5/2012

Setor de Indústrias Gráficas (SIG), Quadra 01 – Ed. Barão do Rio Branco, sala 118 | CEP: 70.610-410 | Brasília - DF
Telefone: (61) 3030-3200
Design: Conectando Pessoas