Notícias

Fale com a comunicação da ABCS

Voltar Publicado em: segunda-feira, 4 de julho de 2022, 3h06

ABCS discute continuidade do Plano de Vacinação contra Peste Suína Clássica (PSC) na Zona Não Livre

O tema foi debatido junto à Secretaria de Defesa Agropecuária do MAPA na última sexta-feira (01)

Na última sexta-feira (01), o presidente da Associação Brasileira de Criadores de Suínos (ABCS), Marcelo Lopes participou de agenda convocada pela Secretaria de Defesa Agropecuária (SDA) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) para tratar da continuidade do Plano de Vacinação contra Peste Suína Clássica (PSC) nos 11 estados que compõem a Zona Não Livre (ZnL) brasileira. Além da ABCS estiveram presentes diversas entidades representativas do setor.  

Na oportunidade foram apresentados os resultados alcançados com o projeto piloto em Alagoas. De início, a diretora técnica da ABCS, Charli Ludtke compartilhou um vídeo feito pela ABCS com os dados da campanha. O material é um compilado de todo o projeto de Alagoas e traz depoimentos de produtores locais reforçando a importância da campanha para suinocultura nacional. Na sequência, o chefe da Divisão de Sanidade dos Suínos (DSS), Guilherme Takeda, realizou uma apresentação com todos os dados oficiais detalhados. 

Para a continuidade da vacinação em outros estados da ZnL, o diretor do Departamento de Saúde Animal (DSA), Geraldo Moraes, comentou sobre a importância de construir um fundo sanitário nacional, que deverá ser debatido e avaliado no decorrer das próximas reuniões com o apoio de todas as instituições. Moraes reforçou a continuidade da campanha em Alagoas e informou da aquisição das vacinas pelo Ministério para a próxima etapa.

Nas palavras do presidente da ABCS, Marcelo Lopes, “Sem dúvidas precisamos comemorar. Conseguimos completar esse primeiro objetivo que foi um ponto crucial para iniciar a campanha na ZnL, mas precisamos estar atentos ao que vem pela frente. Agora é o momento de pensarmos em como iremos continuar, e viabilizar o fundo nacional é a melhor opção, porém sem comprometer os fundos que já estão em andamento. Sabemos da dificuldade de cada um para viabilizar a arrecadação, mas precisamos unir esforços.” Ao final da fala, Lopes, colocou a ABCS à disposição para auxiliar, no que couber, a continuidade da campanha.